Home O Que FazerAr Livre & Natureza Cristo Redentor – Conhecendo o Rio do alto

Cristo Redentor – Conhecendo o Rio do alto

por Thiago Del Grande
Cristo Redentor

O Cristo Redentor é o ponto turístico mais famoso do Rio, eleito uma das 7 maravilhas do mundo moderno, uma obra prima que merece a visita. O monumento, localizado no topo do morro Corcovado, encanta a todos que o visitam desde 1931, ano de sua fundação.

É um símbolo muito importante para a cidade do Rio de Janeiro e, apesar de pequeno se comparado a outros monumentos como a Torre Eiffel (324m) ou o Buda do Templo da Primavera (128m), a estátua carioca ainda consegue ser imponente com seus 38m sobre o alto do morro Corcovado de 710 metros.

Lá do alto a vista é de tirar o fôlego e a subida pelo Trem do Corcovado é imperdível!

E como faz pra chegar lá? Vale a pena? O que é que tem lá em cima além da vista?

É sobre isso que vou falar neste artigo.




Como chegar?

Antes de mais nada é bom que fique claro que existem três maneiras diferentes de se subir o Corcovado e chegar ao Cristo Redentor.

A primeira forma, a mais tradicional e também a que eu recomendo é por meio do Trem do Corcovado. A segunda forma é por meio das vans oficiais. A terceira é a pé, pela trilha do Parque Lage.

Neste artigo não vou focar na subida pela trilha, por ser mais difícil para o turista comum. Nas duas formas principais (trem e van) o preço já inclui o transporte e o ingresso. Então, pra facilitar, vou explicar melhor como é que faz logo abaixo.

Subindo de Trem

O Trem do Corcovado é a forma mais tradicional e conhecida de se chegar ao Cristo Redentor. Vale muito a pena! Só o

trajeto já vale o passeio. O tempo de subida/descida é de aproximadamente 20 minutos e as saídas da estação ferroviária acontecem a cada 30 minutos.

A estação ferroviária é exclusiva para o trem que leva ao Cristo Redentor e fica no bairro do Cosme Velho.

O belíssimo e tradicional Trem do Corcovado

O belíssimo e tradicional Trem do Corcovado

O acesso à estação pode ser feito de ônibus ou de carro. A melhor maneira, sem dúvidas, é utilizar os serviços de táxis ou Uber, porém, dependendo de onde você estiver hospedado pode ser muito caro. Por isso, nós sempre recomendamos (para o turista padrão) ficar hospedado na zona sul devido à facilidade de acesso aos principais pontos turísticos da cidade (incluindo o Cristo Redentor) e a maior gama de serviços de transporte.

Ingressos do Trem do Corcovado

Ingressos do Trem do Corcovado

Uma boa maneira é usar o metrô para se chegar até o mais próximo possível do local onde se pega o trem do Corcovado, ou seja, use o metrô e desça na estação Largo do Machado. Na praça que leva o mesmo nome da estação você poderá pegar o ônibus integração para o Cosme Velho (na tarifa do metrô está incluída a passagem da integração) ou pode pegar um táxi ou Uber, que sairá bem mais barato, uma vez que a Estação Largo do Machado do metrô fica a aproximadamente 3km de distância (ou 8 minutos de carro) da estação ferroviária do Corcovado.

Ao chegar na estação ferroviária do Cosme Velho você poderá comprar o ingresso, que é válido tanto para o trem quanto para o acesso ao monumento. Além da bilheteria da estação ferroviária você também pode comprar os ingressos (inclusive antecipadamente) nos pontos de venda abaixo:

  • Site oficial;
  • Quiosques da RioTur na praia de Copacabana (Av. Atlântica, em frente à Rua Hilário de Gouveia);
  • Centro da cidade (Rua da Candelária, 6);
  • Bilheteria da Estação Cosme Velho.

O pagamento deve ser feito com cartão de crédito ou débito. Pagamentos em dinheiro só estão disponíveis na bilheteria da estação ferroviária.

O embarque é feito das 8h às 17h, diariamente, com saídas a cada 30 minutos e a última descida do Corcovado é às 18h30.

Os valores variam entre R$ 56 e R$ 68 e, como eu já expliquei, incluem o transporte (trem) e o acesso ao monumento. A variação de preços é um pouco confusa, pois depende da temporada (alta ou baixa) e do dia da semana.

Vou explicar melhor…

Alta Temporada:

Meses de dezembro, janeiro, fevereiro, julho e agosto, além de todos os sábados, domingos e feriados (incluindo os prolongados) dos demais meses.

Preço: R$ 68,00
Idoso residente no Brasil (maior de 60 anos): R$ 22,00
Criança (6 a 11 anos): R$ 44,00
Criança (até 5 ano desde que estejam no colo do responsável): grátis

Não há meia entrada para estudantes!

Baixa Temporada:

De segunda à sexta – exceto feriados, nos de março à junho, e de setembro à novembro.

Preço: R$ 56,00
Idoso residente no Brasil (maior de 60 anos): R$ 22,00
Criança (6 a 11 anos): R$ 44,00
Criança (até 5 ano desde que estejam no colo do responsável): grátis

Não há meia entrada para estudantes!

Subindo de Van

Para chegar ao Corcovado com as vans oficiais você precisa ir para um dos três pontos de van disponíveis: Copacabana, Largo do Machado ou Paineiras. Escolha o mais próximo de onde você está hospedado, mas aqui fica uma dica: o ponto das Paineiras é de difícil acesso e eu não recomendo.

Os endereços são os abaixo:

Copacabana
Rua Ronald de Carvalho – Praça do Lido – Copacabana
Próximo (10 minutos a pé) da estação de metrô “Cardeal Arcoverde”
Horário de funcionamento: 08h às 16h

Largo do Machado
Rua Ministro Tavares de Lira – Praça Largo do Machado – Catete
Em frente à estação de metrô “Largo do Machado”
Horário de funcionamento: 08h às 17h

Paineiras
Estrada das Paineiras – Cosme Velho
Horário de funcionamento: 08h às 18h

IMPORTANTE: Há uma diferença de preços entre os pontos. Os do Largo do Machado e Copacabana custam R$ 62 na alta temporada e R$52 na baixa temporada, enquanto o ponto das Paineras custa entre R$22 (baixa temporada) e R$35 (alta temporada). Porém, o preço mais baixo do ponto das Paineiras não compensa sua dificuldade de acesso.

Sol/Clima

Para visitar o Cristo Redentor, assim como outras atrações da cidade (como o Pão de Açúcar) é importante que o dia esteja bonito, senão você correr o risco de não ter uma experiência agradável ou – pior! – não conseguir subir.

Como o Corcovado é um morro de 710m de altura, as condições climáticas precisam ser favoráveis para o turista usufruir da vista e até mesmo enxergar a estátua. Em alguns casos o monumento chega a ser fechado devido ao mau tempo.

Um ponto muito importante: caso ocorram alterações climáticas que levem ao fechamento do ponto turístico, não há devolução do ingresso comprado antecipadamente. A dica aqui é comprar com antecedência de um ou dois dias – no máximo! – e sempre verificando a previsão do tempo antes.

Os meses do verão costumam ser de muito calor e com chuvas ao final do dia. É interessante tentar fazer o passeio pela manhã, sob o risco de não conseguir subir ao monumento devido às alterações climáticas. Outro problema do verão é a neblina. Não é incomum subir ao Cristo Redentor e se deparar com uma neblina chata que vai te impedir de fazer boas fotos e ver a cidade. Dê uma olhada na foto abaixo e perceba que a visão do Rio de Janeiro com a neblina deixa muito a desejar.

Rio de Janeiro com névoa

Rio de Janeiro com névoa

No topo do morro do Corcovado, aos pés do Cristo Redentor, também há poucos locais com sombras, que são muito disputados pelos turistas. Então vá preparado: boné ou chapeú, roupas leves e muito filtro solar.




A vista do Cristo Redentor

A principal atração do Cristo Redentor talvez nem seja a estátua propriamente dita e sim a visão privilegiada em 360 graus de grande parte da cidade do Rio de Janeiro. A estátua abre os braços à frente da Baía de Guanabara, onde é possível ver o Pão de Açúcar e a Enseada de Botafogo, como na foto a seguir.

Baía de Guanabara a partir do Cristo Redentor

Baía de Guanabara a partir do Cristo Redentor (foto: chensiyuan – CC BY-SA)

Lá de cima é possível ver a zona sul e todos os seus bairros e praias, o Pão de Açúcar, a Pedra da Gávea, grande parte da zona norte, inclusive com uma linda visão do Maracanã e da Ponte Rio-Niterói. Você também vai ver o porto do Rio e Museu de Arte Contemporânea (MAC) – uma obra de arte de Oscar Niemayer que fica na cidade vizinha de Niterói.

A quantidade de turistas que se aglomera aos pés da estátua é enorme e talvez você não consiga fazer aquela tradicional foto com os braços abertos na frente do Cristo Redentor. Basta olhar para a foto ao lado e perceber a dificuldade que é fazer a foto.

Turistas se aglomeram aos pés da estátua

Turistas se aglomeram aos pés da estátua

Para facilitar a sua vida, existe um serviço de fotógrafo profissional no Corcovado. Os preços da foto variam entre R$20 (pequena) e R$40 (grande). As fotos são feitas na hora com uma equipe especializada pra você levar pra casa um belo registro da sua visita a uma das maravilhas do mundo moderno.

Souvenires

Como um ponto turístico famoso que se preze, há algumas lojas de souvenires, tanto na estação de trem do Cosme Velho quanto no topo do Corcovado. Mas prepare o bolso para gastar! Uma simples réplica em miniatura da estátua do Cristo Redentor pode custar entre R$20 e R$300, dependendo do tamanho e do material utilizado.

Quer uma dica? Camisetas, bonés, ímãs de geladeira e até as tais miniaturas podem ser comprados em outros lugares da cidade, como a Feira Hippie de Ipanema, por exemplo.




Alimentação

No topo do Corcovado há duas lanchonetes e um restaurante. Bons lugares para matar a fome e a sede de forma rápida e – o melhor! – com preços justos.

Se você estiver com fome e preferir almoçar, pode ir no Restaurante e pedir um filet mignon com palmitos e pagar R$57. A porção serve duas pessoas tranquilamente. Já no cardápio de lanches há boas opções como o cheeseburger (R$11), o misto quente (R$8) e até um sanduíche de presunto parma (R$26).

Restaurante e Lanchonete no topo do Corcovado

Restaurante e Lanchonete no topo do Corcovado

Pra matar a sede, além dos tradicionais sucos e refrigerantes, há cinco tipos de cerveja (todas a R$7) e a brasileiríssima Caipirinha sai por R$15. Se você preferir algo mais simples, a garrafa (500ml) de água custa R$4.

Pontos negativos

Infelizmente, alguns pontos turísticos do Rio de Janeiro possuem pontos negativos e o Cristo Redentor não está fora dessa triste lista.

O principal ponto negativo é que apesar de existirem alguns balcões de informações no topo do morro, nenhum estava aberto durante a visita que eu fiz (em um sábado movimentado). Apesar de todos os profissionais que trabalham no Cristo Redentor serem bastante solícitos para esclarecerem dúvidas e ajudar no que for preciso, nem todos falam línguas estrangeiras, o que é um problema para os turistas gringos que visitam o principal ponto turístico carioca.

Balcão de informações turísticas

Balcão de informações turísticas

Além disso há placas de internet wi-fi gratuito espalhadas por todos os lados, mas… o wi-fi não funciona.

Os pontos negativos apesar de existirem não transformam a experiência da visita ao Cristo Redentor ruim.

Dicas para uma experiência inesquecível

O Cristo Redentor é, sem dúvidas, uma das principais atrações do Rio de Janeiro e, por isso, listei algumas dicas para te ajudar a ter uma experiência inesquecível.

Cristo Redentor

Cristo Redentor

A primeira coisa a se levar em consideração é utilizar sempre os transportes oficiais do Corcovado. Como falei lá em cima, recomendo fortemente o trem! Mas se você preferir ir de van, preste atenção se a van é oficial! A forma correta e segura é pegar a van apenas nos locais oficiais – os que eu citei lá no início deste artigo.

Outras dica muito importante: chegue cedo – de preferência na hora de abertura. Além disso, se for possível, tente visitar o Cristo Redentor no outono, o visual é mais bonito nessa época.

Na hora de ir embora tome cuidado com os táxis piratas. É comum pessoas ficarem te oferecendo um serviço de transporte que além de ilegal é perigoso. Se quiser pegar um táxi opte por fazer sinal na rua ou – melhor ainda – utilize um aplicativo como o 99taxis ou o Easy Taxi. Não esqueça que no Rio de Janeiro você também pode usar o Uber.

Essas foram as dicas sobre o Cristo Redentor. Não esqueça de deixar seu comentário aqui embaixo sobre as suas impressões.


Créditos das fotos:

Baía de Guanabara a partir do Cristo Redentor por chensiyuanCC BY-SA 4.0-3.0-2.5-2.0-1.0 via Wikimedia Commons
Demais fotos por Thiago Del Grande – Copyright © Todos os direitos reservados


 



Booking.com

 

You may also like

Deixe seu comentário

Este website utiliza cookies para melhorar sua experiência. Assumimos que vocês está de acordo com isso, mas você pode desabilitar, se desejar. Aceitar Ler mais