Home Dicas Segurança na Cidade do Rio de Janeiro

Segurança na Cidade do Rio de Janeiro

por Leandro Marques

Em geral, as grandes cidades como o Rio de Janeiro sofrem com o problema da violência urbana. Por isso acho legal bater um papo rápido com você sobre algumas dicas básicas de segurança na cidade. Pequenos cuidados podem evitar grandes aborrecimentos em sua estadia aqui pela cidade. Vamos lá!

Aparelhos Eletrônicos

Evite andar com o seu celular smartphone à mostra. Sempre que possível, guarde-o no bolso ou na sua mochila. Se você quiser utilizá-lo para fazer uma foto de algum lugar, tudo bem, faça. Mas faça de forma discreta e, preferencialmente, rápida. Até mesmo no caso de precisar acessar algum mapa ou utilizar a internet onde você esteja, tente encontrar alguma loja ou algum tipo de comércio em que possa se abrigar e utilizar o celular com mais calma. Isso ajuda bastante a impedir que alguém roube/furte o seu aparelho.

As mesmas dicas de segurança com o celular servem também pra utilização de câmeras fotográficas e tablets. Sei que tem muita gente que vem de cidades onde se pode andar com a câmera pendurada no pescoço tranquilamente. Mas aqui na cidade do Rio de Janeiro infelizmente a realidade é outra. Nada assustador. Mas apenas ande com ela na mochila e só saque ela quando for fotografar. Clicou? Clicou tudo que queria? Então é a hora de guardar e tentar voltar a ser o mais discreto possível novamente.




Andando na rua

Outro ponto interessante sobre segurança é a forma como as pessoas andam na rua. Sempre que possível, procure andar em grupos. Isso diminui bastante o risco de uma eventual abordagem por alguém mal intencionado. Se tiver homem no seu grupo, ajuda também.

Se você pretende ficar parado em alguma esquina observando a fachada dos edifícios ou simplesmente admirando a paisagem, fique mais atento. Fique de olho nas pessoas que vão e vem. Se preferir parar para admirar, faça isso, preferencialmente, em uma rua movimentada. Não é uma garantia de que nada te acontecerá, mas é uma forma de se defender e diminuir o risco de que algo chato aconteça contigo.

O Centro da Cidade do Rio de Janeiro

Apesar de ser o centro nervoso e financeiro da cidade, o Centro é um local bastante ingrato quando falamos de segurança. É lá que fica a maior concentração de pivetes – crianças e adolescentes que praticam pequenos roubos e furtos na região. Geralmente atuam em bando, passam por alguma possível vítima e arrancam o cordão de ouro ou o celular que a pessoa estiver usando. Então se você pretende dar uma chegada no Centro, tome bastante cuidado para não ser vítima de uma situação dessas. Novamente, ande por ruas movimentadas e durante a semana em horário comercial para reduzir o risco.

É importante dizer que o Centro fica muito, mas muito movimentado durante quase todo o dia, de segunda a sexta feira. O bairro só começa a dar uma diminuída no ritmo por volta das 19:00, hora em que as pessoas estão voltando para casa. Mas mesmo assim, é imprescindível que você mantenha muita atenção e cuidado ao caminhar por lá.

Passeios pelo Centro aos finais de semana requerem muito mais cuidado. É um bairro que fica vazio sábados, domingos e feriados, com algumas poucas exceções. Locais muito movimentados como o Theatro Municipal, CCBB, Museu do Amanhã e outros pontos bastante relevantes do Centro, costumam ficar bem movimentados até a noite. Porém, basta virar uma esquina para que se esteja numa cidade – que não seria nem um pouco exagero – fantasma. Por isso, evite sair dessas regiões movimentadas, ainda mais quando você não tem muita ideia do caminho a tomar para chegar no outro ponto desejado do bairro.

Tente se deslocar por lá sempre de Metrô ou, preferencialmente, de Táxi ou Uber. Seu risco diminui bastante quando se toma esse tipo de atitude, já que indo de Táxi ou Uber você salta direto no local que deseja ir, sem caminhadas desnecessárias.

Pedindo informação

Ficou na dúvida sobre qual caminho tomar para chegar ao seu destino? Então, não pare na rua e saque seu celular nem abra um mapa. Procure uma loja, converse com os atendentes. Peça alguma informação sobre o caminho a seguir. Se possível faça essas perguntas antes de sair do seu hotel e converse com o recepcionista. Certamente o pessoal de lá saberá te dar informações importantes para que você chegue ao seu destino em segurança e sem transtorno.




Praias

As praias no Rio de Janeiro são locais frequentados por todos os cariocas de todos os tipos e classes. Não há distinção. Mas também é local onde ocorrem arrastões, frequentes no verão, ou pequenos furtos de objetos pessoais. Cada um deles tem uma dinâmica distinta e eu acho legal trocar essa ideia aqui com vocês.

Os arrastões ocorrem principalmente à tarde, nas praias mais movimentadas da cidade. São pessoas correndo sem muito rumo, tentando pegar/levar o que encontram pela frente. Felizmente, a política de segurança do Rio de Janeiro vem sendo alterada para inibir esse tipo de ação. Ao longo dos últimos anos a frequência com que isso vem ocorrendo está diminuindo. Mas fique atento para não ser vítima de uma situação dessas e nem perder nenhum objeto de valor. Se perceber que o clima ficou meio tenso, guarde suas coisas e espere até o tumulto passar.

Outro ponto relevante sobre os arrastões e praias é que muitos turistas gostam de levar aparelhos eletrônicos – como já falei lá em cima – para a areia. Evite isso. Evite carregar seu smartphone e câmera para lá. Já vi gente que foi roubada e perdeu a câmera com todas as lembranças da viagem. É lamentável, realmente. Mas pra evitar que isso ocorra, não leve esses aparelhos para a praia. Apenas curta a vista. Se quiser levar, seja discreto e só retire-o da bolsa quando necessário.

Sobre furto de objetos pessoais, já vi de tudo. A criatividade do mal intencionado é alta. Então, para se proteger disso e evitar aborrecimentos e perdas indesejadas, coloque sempre seus pertences, como bolsas, carteiras e roupas na sua frente, onde seus olhos alcancem. Nada de botar embaixo ou ao lado da cadeira. Basta uma distraída que você pode perder suas coisas, documentos e dinheiro. Então, bote sempre seus pertences na sua frente.

Vai ao mar dar um mergulho? Peça a alguma pessoa próxima – o pessoal é sempre gentil e acolhedor – para que tome conta dos seus pertences enquanto você vai dar uma mergulhada. Mas também não abuse e fique no mar por horas e horas. Já vi gente que foi embora porque não aguentou esperar a pessoa dando o mergulho no mar. Sempre bom ter um bom senso nessas horas.

Agentes de Segurança

A cidade do Rio de Janeiro tem o policiamento feito, basicamente, por duas instituições: Polícia Militar (PM) e Guarda Municipal.

O policial militar possui uniforme cinza escuro e, dependendo da área, algum tipo de colete coral para

chamar atenção de quem passa. Suas viaturas são brancas e azuis e, comumente, andam sempre com o giroflex ligado. Isso faz com que fique fácil encontrar uma viatura andando pela cidade e facilite seu acesso ao policial. Se tiver alguma dúvida ou qualquer pequeno problema sobre segurança, aborde e pergunte a algum policial o que você precisa e, certamente, ele saberá te orientar.

Segurança feita pela viatura da PM - cores azul e branca

Segurança feita pela viatura da PM – cores azul e branca

Nas praias, o uniforme do policial militar é short preto e camisa branca, eventualmente utilizando uma camisa verde fluorescente, para que seja visto de longe. Ele tem as mesmas funções que o policial de uniforme cinza escuro, conforme falei acima.

O telefone para chamar a Polícia Militar é 190, em todo o Estado do Rio de Janeiro.

O guarda municipal utiliza um uniforme cáqui. É também um agente de segurança, mas combate apenas o pequeno delito e tem muito mais a função de inibir alguma situação de violência do que lidar, propriamente, com a situação. No verão, costumam fazer o patrulhamento das praias para impedir que arrastões aconteçam. Nas praias, seu uniforme é camisa branca com short cáqui. Qualquer dúvida ou demanda que você tenha sobre segurança ou orientação sobre lugares em geral, também podem ser direcionadas a esse agente de segurança.

Fui roubado! E agora?

Primeiro, antes de mais nada, não reaja nunca a nenhum tipo de abordagem. Esse é o pior caminho a ser tomado. Especialistas em segurança e a própria Polícia Militar orientam a não reagir a qualquer investida de um ladrão contra você.

Se você é turista e foi vítima de algum tipo de roubo/furto ou violência, certamente será orientado por qualquer policial militar ou guarda municipal a procurar a DEAT – Delegacia Especial de Atendimento ao Turista – que fica na Rua Humberto de Campos, 315 – Leblon, esquina com a Avenida Afrânio de Melo Franco, ao lado da 14a DP. Lá será registrada a respectiva ocorrência e você será melhor orientado sobre o que deve fazer a partir dali. Na DEAT os agentes são treinados para atuarem com turistas e geralmente falam inglês e outras línguas.

Seguindo essas dicas de segurança, você certamente evitará grandes aborrecimentos em sua viagem aqui pela cidade do Rio de Janeiro.

Nós do site Cariocaria torcemos muito para que nada de ruim aconteça com você por aqui! E esperamos que não precise ir a nenhuma delegacia e nem sofrer nenhum tipo de violência!

Até mais!


Crédito das fotos: Todas as fotos por Leandro Marques (todos os direitos reservados).

A cópia e/ou utilização das fotos de forma não autorizada pelo autor é vedada e todos os seus direitos são reservados.




Booking.com

 

You may also like

Deixe seu comentário

Este website utiliza cookies para melhorar sua experiência. Assumimos que vocês está de acordo com isso, mas você pode desabilitar, se desejar. Aceitar Ler mais